Pular para o conteúdo principal

Destaques

Mestres do Bar Bebidas Eternas: A Fascinante Jornada pelos Clássicos da Mixologia

Tenho o prazer de compartilhar o lançamento do meu primeiro livro, 'Mestres do Bar - Bebidas Eternas', agora disponível na Amazon e no Clube de Autores. Nesta obra, mergulhei a fundo no fascinante mundo dos coquetéis oficiais da IBA. Se você ama curiosidades sobre drinks, este livro é para você! Confira e embarque nessa jornada emocionante pelas origens das bebidas eternas. Mestres do Bar Bebidas Eternas: A Fascinante Jornada pelos Clássicos da Mixologia Neste envolvente livro, embarque em uma jornada fascinante pelo mundo da coquetelaria, desvendando os segredos por trás dos coquetéis clássicos consagrados pela International Bartenders Association — IBA. Descubra as receitas únicas e as histórias que as tornaram lendárias, enquanto desvenda as técnicas empregadas pelos mestres da mixologia. Com base na prestigiada lista de clássicos da associação, esta obra é o guia definitivo para entusiastas de coquetéis e bartenders profissionais que desejam aprimorar suas habilidades. Prep

A História e o Charme Atemporal do Dry Martini: A Bebida favorita de James bond

A história do Dry Martini é longa e interessante, com muitas variações ao longo do tempo. O coquetel tem suas raízes no Martinez, um coquetel do século XIX feito com gin, vermute doce, curaçau e bitter de laranja.




Ao longo do tempo, a receita do Martinez evoluiu, com o vermute doce sendo substituído por vermute seco e o curaçau sendo removido. Acredita-se que essa mudança tem sido liderada pelos barmen americanos que preferem o sabor mais seco do vermute na mistura.

O nome "Dry Martini" parece ter sido cunhado na virada do século XX, e a receita do coquetel começou a aparecer em livros de receitas de coquetéis na década de 1910. Durante a Lei Seca nos Estados Unidos (1920-1933), o Dry Martini tornou-se ainda mais popular como um coquetel elegante e sofisticado, muitas vezes consumido em recantos privados e bares clandestinos.

Hoje em dia, o Dry Martini continua a ser um coquetel popular em todo o mundo Sua história e sabor distinto garantem que ele continue a ser um clássico atemporal na cultura de coquetéis.

O personagem James Bond, criado pelo escritor Ian Fleming em 1953, é conhecido por suas aventuras como agente secreto britânico e por seu amor por coquetéis sofisticados, em particular o Dry Martini.

No livro de Ian Fleming, "Casino Royale", Bond pede um "Dry Martini, shaken, not stired" - ou seja, um Dry Martini agitado, não mexido. Essa frase se tornou uma das mais famosas da cultura pop, e tem sido repetida em muitos dos filmes de James Bond.

A escolha do Dry Martini como bebida favorita de Bond é uma parte importante de sua imagem de homem sofisticado e elegante. Além disso, o fato de que ele prefere o coquetel agitado, não mexido, é uma referência à maneira como Fleming prefere seu próprio Dry Martini.

Além da frase icônica "Dry Martini, shaken, not stired", James Bond também é conhecido por sua preferência pelo vodka martini em alguns dos filmes mais recentes. Em "Casino Royale" (2006), Bond troca o gin pela vodka em seu martini, e pede um "Vesper Martini" que é feito com gin, vodka e Lillet Blanc.

O Dry Martini ainda é muito apreciado em bares e restaurantes de todo o mundo, e é uma ótima opção para quem aprecia bebidas fortes e sofisticadas.

Dry Martini
COQUETEL IBA , OS INESQUECÍVEIS


INGREDIENTES
60 ml de gin
10 ml de vermute seco

Comentários

Postagens mais visitadas